O que é a separação?

DEUS nos criou para vivermos em íntima comunhão, isto quer dizer, amando e sendo amados para sempre. Como já vimos, essa é a vontade de DEUS para o lar.

Hoje, poucos entendem o que quer dizer “unidos para sempre”. Isto é sinônimo de “felizes para sempre”, e não como nos contos de fada. Esses contos têm como mensagem ser impossível tal felicidade. Esta apenas pode ser imaginada no cenário destes contos. Isso não é verdade. Biblicamente, a união é muito fácil de ser alcançada, basta obedecer aos princípios do amor.

No mundo contemporâneo, as pessoas não sabem o que é o autêntico e verdadeiro amor. Separar-se é tido como algo que faz parte de nossa sociedade, e faz mesmo. Mas isto não significa que seja o correto. O correto é simplesmente o melhor para nós. DEUS, sendo amor, sempre deseja o melhor para nós nessa vida, em que ainda vigora o pecado, mas Ele quer o bem da perfeição para nós quando restaurar o ambiente de amor aqui na Terra.

Enquanto isso, muitos de nós viveremos na moda, ou seja, como faz a maioria, entendendo que a separação é uma solução inteligente. Chegamos a tal ponto na astúcia do engano da parte de Lúcifer, que, na maioria das programações veiculadas pela mídia, a separação, o conflito, o desentendimento são tratados como algo superior, desejável até. São defendidos e ensinados. Tornaram-se algo necessário, plenamente aceitável. Mas é certo que ninguém é feliz assim, exceto que se engane a si mesmo, até que não suporte mais e morra como um pobre infeliz, mesmo que em meio a muita riqueza.

O amor une, não apenas junta. Estar juntos não é o mesmo que estar unidos. Muitos lares se despedaçam porque as pessoas que o formam não estão unidas, apenas moram juntas. E estressam-se juntas. Estar unidos é o mesmo que estar ligados uns aos outros.

Hoje vemos grandes multidões juntas, nas mais diferentes ocasiões em que ocorrem grandes promoções, como nos grandes espetáculos. Nessas ocasiões, não há união; as pessoas estão apenas juntas. Aí as pessoas podem facilmente entrar em conflito umas com as outras. Elas não estão ali para servir umas às outras, mas apenas para obter algum benefício a si mesmas. O encontro viabiliza uma postura egoísta, centralizada no eu. Isso é muito perigoso, há história para ser contada de conflitos surgidos nesses encontros.

Nesses encontros, as multidões estão juntas, mas cada indivíduo encontra-se só. Este é apenas um elemento perdido entre inúmeros outros elementos. Quando está em forma de turma, está organizado para pensar não estar em solidão, o que é apenas um paliativo. O pior é que as pessoas não têm consciência dessa situação e entendem ser a vida assim mesmo, que nada de melhor existe. Estão iludidas, não sabem que poderiam ser realmente felizes. Na inconsciência de seu estado de vida, sentem apenas que algo está faltando, e apelam para as mais diferentes alternativas que nada solucionam. São as diversões que não satisfazem, apenas parecem satisfazer; as drogas, a pornografia e muita coisa mais. Tudo é engano e ilusão, bem como Lúcifer quer que seja. É uma aparente felicidade passageira. Pensam ser felizes, mas não sabem o que é felicidade. E as pessoas vivem como se isso fosse vida. Não é vida, é passagem ilusória pela vida. DEUS não deseja tão pouco para as suas criaturas.

O ódio promove encontros, mas não une. Nos encontros do ódio, as pessoas se perfilam umas contra as outras, querendo ser mais que o grupo oposto. Geram animosidade entre grupos opostos. Frequentemente entram em conflito ostensivo, e o resultado é maior desunião, feridos e até mortes. O ódio promove encontros para fomentar o conflito. Fisicamente separados não podemos conflitar uns contra os outros e unidos também não. Então é preciso juntar, tanto no lar como nas multidões. Aí é certo que o conflito ocorrerá, mais cedo ou mais tarde. Basta atentar para o que acontece pelo mundo afora, e veremos que é assim mesmo. O amor atrai, o ódio afasta, não esqueçamos. Com ódio, podemos estar juntos, mas não nos toleramos, e estamos espiritualmente afastados uns dos outros, desejando todo o mal ao próximo.

As artes, por exemplo, procuram retratar a vida como ela é. Mas por que não retratam a vida como ela deveria ser? Por que promover tanto o que nos faz mal? Que interesses há por trás disto? Por que os filmes propagam tantas coisas horríveis? Por que as revistas divulgam tanta maldade em suas estórias? Por que os contos para crianças são quase sempre dirigidas para formar nelas um caráter de irresponsabilidade e de superficialidade? Por que os desenhos da televisão fazem a mesma coisa? Por que nessas estórias tudo sempre dá certo, mesmo sendo levianos e irresponsáveis em seu proceder? Afinal, que cultura estamos formando?

Por que os vídeo games incentivam a violência, cada vez mais intensamente? Por que muitos profissionais do comportamento humano dizem abertamente que essa violência ‘enlatada’ não é prejudicial para a formação dos adolescentes?

Por que a vida desregrada e sem princípios é tida como ‘legal’ e atraente? Por que as mensagens de ódio nos vidros e para-choques dos veículos são tidas como algo interessante? Por que carrancas, piores que as dos tempos dos piratas, são afixadas em muitos lugares, e as pessoas as admiram?

Sabe por quê? Examinemos algumas passagens da Palavra de DEUS a respeito. Leia calmamente e reflita o que essas palavras querem dizer. DEUS previu isso para nossa orientação.

“Com efeito, o mistério da iniquidade já opera e aguarda somente que seja afastado aquele que agora o detém (que é JESUS); então será de fato revelado o iníquo, a quem o SENHOR JESUS matará com o sopro de Sua boca, e o destruirá, pela manifestação de Sua vinda. Ora, o aparecimento do iníquo é segundo a eficácia de Satanás (Lúcifer), com todo o poder, e sinais de prodígios da mentira, e com todo o engano de injustiça aos que perecem, porque não acolheram o amor da verdade para serem salvos. É por este motivo, pois, que DEUS lhes manda a operação do erro, para darem crédito à mentira…” (II Tessalonicenses 2:7 a 11 – grifo nosso).

Aqui encontramos parte da explicação. Esse texto revela quem está por trás dessa situação toda e que age por meio de enganos e mentiras. Revela ainda que a situação não é pior porque esse iníquo está sendo contido, e sabemos quem o segura. Mas também afirma que agora age com muito maior intensidade. Isso se refere aos últimos dias da Terra, nos derradeiros anos que antecedem a segunda vinda de CRISTO. Esses em que estamos hoje vivendo.

O aumento da intensidade da ação de Lúcifer já podemos observar no quadro dos acontecimentos pelo mundo afora. É certo que a crise econômica de desemprego, e de insegurança faz parte desse quadro. Há por trás disso o empenho de Lúcifer dominar o mundo, por intermédio de seus agentes humanos.

Examinemos mais um versículo. Os homens “inculcando-se sábios, tornaram-se loucos, …pois eles mudaram a verdade de DEUS em mentira, adorando e servindo a criatura em lugar do Criador, … Por causa disso os entregou DEUS a paixões infames; porque até as suas mulheres mudaram o modo natural de suas relações íntimas, por outro contrário à natureza; semelhantemente, os homens também, deixando o contato natural da mulher, se inflamaram mutuamente em sua sensualidade, cometendo torpeza, homens com homens, e recebendo em si mesmos a merecida punição do seu erro” (Romanos 1:22 a 27 – grifo nosso).

Essa passagem retrata a situação atual do mundo e apresenta as causas. Os homens, separados de DEUS, acham-se muito sábios, mas fazem loucura. Não sabem medir as consequências do que fazem. Mudaram o certo pelo errado, a verdade pela mentira. Basta observar as declarações de muitas das pessoas importantes em nossa sociedade e notaremos quanto mentem. A palavra dita é válida enquanto algum inimigo não resolve denunciar. Após isso, corre processo judicial até que alguém vença pela força, dificilmente pela verdade. O normal hoje é enganar e ser enganado.

Mas leiamos a continuidade da passagem anterior: “E, por haverem desprezado o conhecimento de DEUS, o próprio DEUS os entregou a uma disposição mental reprovável, para praticarem cousas inconvenientes, cheios de toda a injustiça, malícia, avareza e maldade; possuídos de inveja, homicídio, contenda, dolo e malignidade; sendo difamadores, caluniadores, aborrecidos de DEUS, insolentes, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes aos pais, insensatos, pérfidos, sem afeição natural e sem misericórdia. Ora, conhecendo eles a sentença de DEUS, de que são passíveis de morte os que tais cousas praticam, não somente as fazem, mas também aprovam os que assim procedem” (Romanos 1:28 a 32, grifo nosso).

Esse texto fala por si mesmo. Escrito a quase dois mil anos atrás. Pela sabedoria de DEUS, somos informados de como seria a sociedade dos últimos tempos. Os homens sabem que estão errados, mas fazem o que está errado e aprovam os que assim procedem. Bem, esse só pode ser o reino da mentira, do engano e da maldade. Lúcifer conseguiu enganar tantos, isso estava previsto, e hoje o normal é praticar o erro, não o que é direito.

Isso acontece porque estamos separados de DEUS. Porque a humanidade vive separada de DEUS. DEUS não está sendo amado mais do que todas as coisas. Logo, entre as criaturas, também não pode haver amor uns para com os outros. Mas, simplesmente ódio, somente ódio.

Separação é não amar a DEUS nem ao próximo. É, em última análise, desobedecer às leis de DEUS, nem sequer as tendo no coração. Estão aí as consequências: uma confusão, mistura de coisas boas e coisas más, o mal embalado de bem para confundir e enganar. Mas o fim de todas essas coisas é maior separação e mais infelicidade. Esse é o nosso cenário atual.

 

 

(147)

Comments

comments

Powered by Facebook Comments