É Completa a Nossa Bíblia

I – O que é a Bíblia?

     1) A Palavra de Deus – S. Lucas 8:21

     2) Livro inspirado por Deus – II S. Pedro 1:21

     3) Livro preservado por Deus – Prov. 30:5, 6

     4) É completo – Apoc. 22:18, 19

     5) Escrito em 2 períodos –

          a) parte antes de Cristo – VT

          b) parte depois de Cristo – NT

 

II – Línguas Originais e Traduções

      1) Velho testamento em hebraico.

      2) Novo Testamento em grego do qual existem ainda hoje 4.500 manuscritos

      3) A tradução para o grego chamada Septuaginta foi a primeira para uma língua que não Sagrada. 280-180 A.C.

      4) A Vulgata foi uma das primeiras e mais conhecida tradução do hebraico e grego para o Latim. Há perto de 8.000 manuscritos dessa tradução.

      5) Textus Receptus de Erasmo perto de 1500 A.D.       

      6) Texto de Nestle.

 

III – No que diferem as Bíblias católicas das protestantes.

        1) Nas Católicas há os livros chamados Apócrifos. Apócrifo antigamente no tempo dos persas tinha um sentido esotérico, depois passou a significar Coisas Escondidas, Ocultas ou Secretas. Mais tarde esse termo foi sendo aplicado a livros de autenticidade

incerta e hoje se aplica a livros religiosos não inspirados tais como esses que encontramos nas Bíblias Católicas.

      2) Os livros apócrifos são:

           Tobias, Judite, Sabedoria de Jesus Bem Sirach ou Eclesiástico, Sabedoria de Salomão, Baruque, I Macabeus, II Macabeus, Acréscimos a Daniel, Acréscimos a Ester.

      3) Qual a sua origem?

           a) Ptolomeu Filadelfo, rei do Egito, ordenou que traduzissem os escritos dos hebreus para o grego, língua oficial do mundo de então, para assim enriquecer a sua biblioteca.

           b) O afrouxamento dos judeus da grande colônia hebraica de Alexandria quanto ao estudo da sua própria língua.

           c) A grande influência helenista nos judeus alexandrinos.

           d) O grande desejo do mundo grego de conhecer os escritos dos judeus.

      4) Data 200 A.C. até 100 A.C. foram eles escritos.

 

IV – Erros ensinados pelos Apócrifos, que estão em contradição com o restante da Bíblia.

 

A-1. Dar esmolas Purifica do Pecado.

       a) Tobias 12:9: “Porque a esmola livra da morte e é a que apaga os pecados e faz

            encontrar a misericórdia e a vida eterna.”

       b) Tobias 4:10: “Porque a esmola livra de todo o pecado e da morte e não deixará, cair a

            alma nas trevas.”

       c) Eclesiástico 3:33: “As esmolas resgatam o pecado.”

       d) II Macabeus 12:43-46: “E tendo feito uma coleta, mandou 12 mil dracmas de prata, a Jerusalém, para serem oferecidas em sacrifício pelos pecados dos mortos, sentindo bem e religiosamente da ressurreição. … Se Judas não tivesse esperança de que se erguessem de novo os que caíram teria sido supérfluo orar pelos mortos. … É pois um santo e salutar pensamento orar pelos mortos para que sejam livres de seus pecados.”

 

2) Refutação:

     a) Oferta em dinheiro para perdão do pecado não encontramos em nenhum lugar da Bíblia, isto é, coisa diabólica, pois assim somente os ricos teriam perdão dos pecados.

     b) I S. Pedro 1:18 e 19, não foi com ouro ou prata que fomos comprados.

     c) Atos 10:4-6, não somente dar esmolas mas conhecer e praticar a verdade.

     d) Efés. 2:8 e 9, somos salvos pela graça de Deus e não por dinheiro.

     e) Isa. 55:1, compra sem dinheiro.

B-1. Ensino de Crueldades e do Egoísmo.

      a) Eclesiástico 12:6: “Não favoreças aos ímpios; retém o teu pão e não dês a ele.”

2) Refutação:

     a) Ecle. 11:1 e 2, lança o teu pão.

     b) Prov. 25:21 e 22, dá-lhe pão para comer e água para beber.

     c) Rom. 12:20.

     d) S. Mat. 5:44-48, amar os nossos inimigos.

C-1. Pecados Perdoados Pela Oração.

      a) Eclesiástico 3:4: “Quem amar a Deus receberá perdão de seus pecados pela oração.”

2) Refutação:

     a) Os pecados não se perdoam pela oração, se fosse assim, não teríamos necessidade de Jesus. Todos os povos pagãos fazem orações, mas os pecados não se perdoam somente pela oração.

     b) Prov. 28:13, o que confessa e deixa alcançará misericórdia.

     c) I S. João 1:9, renúncia do pecado.

     d) I S. João 2:1 e 2, Cristo é quem nos perdoa.

D-1. O Ensino do Purgatório.

       a) Sabedoria 3:1-4: “Mas as almas dos justos estão na mão de Deus; e o tormento da morte não as tocará. Aos olhos dos ignorantes pareciam eles morrer e sua partida foi considerada desgraça. E, sua separação de nós, por uma extrema perda. Mas eles estão em paz. E embora aos olhos dos homens sofram tormentos, sua esperança está plenamente na imortalidade.”

      b) Isto é a doutrina do purgatório.

2) Refutação:

     a) I S. João 1:7, esse ensino aniquila completamente a expiação de Cristo. Se o pecado, pudesse ser extinguido pelo fogo, não teríamos necessidade de um Salvador.

     b) Ecle. 9:6, os mortos não sabem coisa nenhuma (Isa. 38:18 e 19).

     c) I Tess. 4:13-16, na ressurreição os justos serão galardoados.

E-1. O Ensino da Vingança.

      a) Judite 9:2: “O Senhor Deus, do meu pai Simeão, a quem deste a espada para executar

vingança contra os gentios.”

2) Refutação:

     a) Gên. 34:30, o aborrecimento de Jacó pela vingança de Simeão contra os cananitas.

     b) Gên. 49:5-7, a maldição de Jacó porque eles usaram de vingança.

     c) Rom. 12:17-19, Minha é a vingança diz o Senhor.

F-1. Suicídio:

      a) II Macabeus 12:41: “… quando ele se viu a ponto de ser preso, feriu-se com a sua espada, preferindo morrer nobremente a ver-se sujeito a pecadores, e padecer ultrajes indignos de seu nascimento.”

2) Refutação:

     a) morrer nobremente é a frase perigosa. A Bíblia  nos conta de alguns suicídios, mas nunca  os qualifica de coisas ou ato nobre.

     b) a vida e morte dependem de Deus e nós, não podemos desertar da vida para nos livrar de dificuldades. Cristianismo quer dizer paciência, abnegação. Tudo sofre, tudo suporta.

     c) Transgressão do mandamento “Não matarás.”

G-1. O Ensino de Artes Mágicas.

       a) Tobias 6:8: “Se tu puseres um pedacinho do seu coração (do peixe que ele havia apanhado) sobre brasas acesas, o seu fumo afugenta toda casta de demônio, tanto do homem como da mulher, de sorte que não tornam mais chegar a eles.” Vers. 9. “ E o fel é bom para untar os olhos que têm algumas névoas, e sararão.”

2) Refutação:

     a) não encontramos tal em lugar nenhum da Bíblia.

     b) não precisamos de truques para enfrentar o diabo.

     c) maneiras de enfrentar o diabo e os demônios: S. Mat. 4:4-10, está escrito. S. Tiago 4:7, resisti ao diabo e ele fugirá.

     d) maneiras de expulsar demônios: S. Mar. 16:17; Atos 16:18.

H-1. Mentiras.

       a) Judite 11:13-17, Judite mentindo para Holofernes.

       b) Tobias 5:15-19, o anjo Rafael mentindo.

2) Refutação:

     a) Deus nunca sancionou a mentira nem mesmo nos Seus servos.

     b) O mal começou com a mentira no Céu.

     c) Gên. 3:4, certamente não morrerás.

     d) S. João 8:44, quem é o originador e pai de todas as mentiras, portanto não pode um anjo de Deus mentir.

     e) S. João 14:6, Jesus diz ser o Caminho, a Verdade e a Vida. Todos os seguidores deCristo devem ser verdadeiros.

I-1. Tolices.

     a) Tobias 2:10, as fezes de uma andorinha, caindo nos olhos de Tobias que estava dormindo junto a um muro, deixa-o cego.

     b) Judite 8:5 e 6, uma mulher jejuando a vida inteira, menos aos Sábados.

     c) II Macabeus 15:40: “Beber sempre água é coisa prejudicial.”

 

V – Razões Interessantes:

       1) Roma não pode chamar as outra Bíblias de falsas por não conterem os Apócrifos, assim como não pode se chamar uma nota de falsa por não ter ela uns acréscimos que alguém julgue que ela deva ter.

      2) Em II Macabeus encontramos o autor do livro pedindo perdão pelas suas falhas como escritor. Se crêssemos que estes livros estão no mesmo pé de igualdade com os inspirados, ficaríamos então admirados de ver agora o Espírito Santo pedindo desculpas por algumas falhas que é inconcebível.

     3) Jerônimo, o tradutor da Vulgata declarou  que os Apócrifos não eram canônicos.

     4) Somente em 8 de Abril de 1546 é que a igreja Católica se lembrou que esses livros deveriam estar canonizados.

     5) Nesse concílio que declarou os Apócrifos, como autorizados, não havia nenhuma autoridade entre eles. Havia somente 53 prelados italianos e espanhóis na sua maioria. Nenhum alemão. Era mais um concílio religioso do que ecumênico, portanto não tinha autoridade.

    6) A Igreja Católica Ortodoxa sempre fez restrições aos Apócrifos.

    7) Católicos Scholars rejeitaram os Apócrifos.

         a) Bede e John os Salisbury, 1180 A.D.

         b) Willian Ockam, 1347.

         c) Cardeal Ximenes mandou editar na Espanha a Bíblia Poliglota e não continha os Apócrifos, 1547-17.

         d)Após o Concílio de Trento em 1546 ter anunciado os livros Apócrifos canônicos, Sixtus de Siena em 1566 insistiu em separar o livros Apócrifos da Bíblia.

 

VI – A Bíblia é o grande livro de todas as épocas.

        1) É um grande livro porque suas predições jamais falharam. Ex.: Destruição de Babilônia, Tiro, a divisão da Europa em dez reinos, as Quatro Grandes Monarquias, a destruição de Jerusalém.

       2) É um grande livro porque é a Palavra de Deus.

       3) É um grande livro porque ajuda o homem moralmente. Os Grandes Homens e o Livro dos livros.

       4) É um grande livro porque apresenta o caminho da salvação para o homem.

       5) É um grande livro porque  no revela o ser mais maravilhoso que já esteve na Terra: Jesus o Filho de Deus.

       6) É um grande livro porque nos fala desse amante Salvador. A Palavra é uma revelação de Cristo, S. João 1:1-3.

    

(619)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *