Tratamentos para depressão

Saia da depressão

A depressão pode ser originada por fatos específicos, como morte de uma pessoa querida ou doença, mas também pode resultar da soma de pequenos eventos que acontecem ao longo de nossa vida que não são completamente superados.

Segundo a Wikipédia, estado depressivo diferencia-se do comportamento “triste” ou melancólico por ser uma condição duradoura de origem neurológica acompanhada de vários sintomas específicos. Ou seja, depressão e tristeza são coisas diferentes.

A depressão é uma doença com diversos níveis e cada um exige um tratamento diferente. O nível mais grave é a depressão crônica grave, mas há medicamentos eficazes e várias formas de tratamento contra a depressão crônica, geralmente acompanhado por terapeutas e psiquiatras. Para driblar a depressão leve ou moderada, que surge de vez em quando, há muitas estratégias que você mesmo pode adotar, como exercícios físicos e uma alimentação balanceada. È importante passar por uma consulta médica e, após um diagnóstico completo de depressão, definir junto com seu terapeuta qual o seu real quadro e o tratamento mais adequado para o seu nível de depressão.

Pensando no seu bem-estar e para te ajudar na busca de mais alegria e satisfação no seu dia-a-dia, Seleções preparou para você algumas dicas de tratamento contra a depressão:

  1.  Mexa-se! Para depressão leve a moderada, exercícios físicos podem funcionar melhor do que antidepressivos.

Não fique parado. Vários estudos já confirmaram que exercícios freqüentes podem ser um poderoso renovador de ânimo e ajudam você a tratar a depressão. Tudo de que você precisa são 20 minutos de exercícios aeróbicos 3 vezes por semana. Caminhar, erguer pesos, pular corda, andar de bicicleta – qualquer exercício funciona.

Alimentação X Depressão – O influência dos carboidratos no seu humor

Se você está seguindo uma dieta com alto teor de proteínas, a falta de carboidratos pode estar contribuindo para a tristeza. Alimentos como frutas e legumes, feijões e grãos integrais ajudam o cérebro a produzir serotonina, substância que regula o humor.

Coma peixe 3 vezes ou mais por semana. Pesquisadores finlandeses descobriram que as pessoas que comem peixe menos de 1 vez por semana têm incidência 31% maior de depressão leve a branda do que as que comem peixe com mais freqüência. Atum, salmão, sardinha e cavala são as melhores opções, pois são ricos em ácidos graxos ômega-3, essenciais para a função normal do cérebro. Há evidências de que influenciam a produção de serotonina.

Se tiver o hábito de tomar café ou refrigerantes, reduza o consumo ou mesmo corte-os do cardápio.

Pesquisas demonstram uma ligação da cafeína, que suprime a produção de serotonina, com a depressão. Nada de álcool. Embora vinho, cerveja ou outras bebidas possam inicialmente melhorar o ânimo, o álcool é na verdade um depressivo.

 Coloque a tristeza no papel

Registre seus sentimentos num diário – especialmente os sentimentos ruins, como ansiedade, tristeza, dor, medo, dúvidas, remorso etc. Pesquisas demonstram que o estado psicológico das pessoas que escrevem todos os dias durante 20 minutos sobre suas emoções mais dolorosas apresentam melhora impressionante depois de apenas 4 dias. Sente-se com uma folha de papel em branco à sua frente e escreva sem parar sobre o evento mais angustiante que já teve na vida. Não pense, apenas escreva. Isso ajuda a espantar a depressão!

 A religião como tratamento para ansiedade e depressão

Assista aos cultos da sua igreja ou templo. Um estudo com 4.000 pessoas da terceira idade revelou que as pessoas que freqüentavam regularmente serviços religiosos reduziam em 50% a probabilidade de ficarem deprimidas em comparação com aquelas que não freqüentavam.

 Dicas para prevenir a depressão

 Durma bem

Estudos mostraram que as pessoas que dormem menos de 8 horas, durante noites seguidas, tendem a apresentar índices menores de serotonina, substância que regula o humor e ajuda no combate da depressão, do que aquelas que têm noites de sono completas. Para garantir uma boa noite de sono, tente ir para cama à mesma hora todas as noites e se levantar à mesma hora todas as manhãs – mesmo nos finais de semana.

 Desligue a TV

Pesquisas sugerem que quanto mais tempo você passa assistindo televisão, mais seu ânimo se abate e a depressão pode aparecer. Assistir horas seguidas de reprises, maratonas de filmes ou jogos pode parecer um bom recurso para aliviar o estresse e se divertir, mas estudos demonstraram que, ao contrário, as pessoas que vêem televisão por muito tempo normalmente apresentam sentimentos acentuados de isolamento.

 O mais importante: descobrir a causa da depressão

Talvez você tenha tido uma experiência traumática. Ou talvez, sem razão aparente, você simplesmente se sinta triste e vazio. A depressão está normalmente ligada a uma combinação de fatores médicos, genéticos e ambientais.

Existem 4 tipos: a depressão importante, na qual a baixa emocional é grave e dura mais que 2 semanas; a depressão leve, ou disritmia, que tem menos sintomas ou sintomas mais brandos; o distúrbio bipolar, que causa mudanças extremas do humor; e a depressão pós-parto.

Quando é hora de procurar um terapeuta ou médico psiquiatra?

Situações como divórcio, morte, mudança de casa ou de emprego podem causar sensação temporária de tristeza, pela vivência da perda ou pelos novos desafios a serem enfrentados. Quase todo mundo tem uma depressão leve em algum momento da vida. No entanto, se sua tristeza durar mais que duas semanas, ou se for acompanhada por alterações do sono e do apetite (comer e dormir muito ou não comer e nem dormir absolutamente), perda do interesse por sexo e redução da capacidade de contração, é possível que você precise de tratamento. Seu médico pode avaliar se você precisa de psicoterapia, medicação ou ambas.

 Passos para Pensar Positivo

A depressão é uma doença e deve ser tratada. Porém, o fato de nos sentirmos tristes, ansiosos ou constantemente de mau-humor não significa que estamos depressivos. Para estes dias, preparamos algumas dicas para acabar com o baixo-astral:

 Encare os fatos sem medo. Conteste as crenças irracionais que abalam sua segurança. Se você pensa que todos estão rindo de você, exija evidências concretas. Será que realmente estão rindo? Será que não estão rindo de outra coisa?

Não pense automaticamente no pior (“Não passei no teste porque sou estúpido”). Normalmente existem muitas razões para as coisas não darem certo. Olhe para todas de forma objetiva e concentre-se naquelas que você pode mudar (“Da próxima vez, farei melhor se estudar mais”).

 Seja mais confiante. Se a auto-análise revelar uma fraqueza pessoal, evite que as implicações monopolizem sua mente (“Não faço nada certo”). E lembre-se: reconhecer que você é fraco em uma área não faz de você uma pessoa fraca. Ao contrário, é uma forma de identificar onde investir mais esforço e redirecionar seu foco para os pontos fortes.

 Liberte-se da necessidade de controlar tudo a sua volta. Inevitavelmente, as coisas nem sempre acontecem do seu jeito. Aceite o fato do mundo não estar sob seu controle e tente ficar calmo diante das adversidades. Desse modo, 2 problemas – o aborrecimento e sua reação a ele – ficam reduzidos a apenas 1.

 

(457)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *