Gordura

GORDURA

PORQUE TODO ESSE BARULHO?

Uma bandida traiçoeira está agindo em nosso país, incapacitando e matando de forma silenciosa mais americanos, a cada ano, do que todas as guerras do século 20! Essa vilã é a gordura contida em nossos alimentos.

Você está dizendo que ao comer gordura podemos estar nos matando?

O excesso de gordura nos alimentos tem sido apontado como o mais danoso componente da dieta ocidental. A dupla mortal – dieta rica em gordura e em colesterol – atualmente se encontra vinculada a problemas tão diversos como a doença arterial coronariana (doença cardíaca), pedras na vesícula, apendicite, cânceres do intestino grosso, mama e próstata, derrames cerebrais, doença diverticular, e gota – isso para mencionar alguns exemplos. A lista continua crescendo.

Mas não é verdade que necessitamos de gorduras para sermos saudáveis?

A gordura é um componente fundamental de qualquer célula viva. A gordura também é o sistema de combustível de reserva do organismo. Não podemos ter saúde ótima sem ter gordura na dieta.

Os problemas ocorrem porque a maioria de nós ingere gordura em excesso, e muitas vezes sob formas que o corpo na é capaz de manipular adequadamente. É fácil entendermos que um carro se desempenha melhor com o tipo de combustível para o qual foi designado. Poderíamos fazer o carro funcionar com querosene, mas seria desastroso para o motor. Combustíveis inadequados também danificam o motor do organismo, embora não seja tão facilmente perceptível em virtude de um corpo saudável dispor de margem de segurança ampla. Quase 90% do fígado e dos rins podem ser destruídos antes que o organismo entre em falência. Na ocasião em que a primeira dor anginosa ou ataque cardíaco se manifesta, o diâmetro das artérias coronárias, em importantes pontos, pode ter um estreitamento de 80 a 90 por cento!

De que forma a gordura danifica o organismo?

A quantidade excessiva de gordura na dieta estabelece as condições para o desenvolvimento da aterosclerose – o endurecimento e estreitamento das artérias vitais condutoras de alimento e oxigênio ao corpo. O excesso de gordura torna o sangue espesso e pegajoso, reduzindo a velocidade da circulação e fazendo com que as células vermelhas se “colem” umas às outras, formando pencas. As células assim agregadas não são capazes de levar toda a carga de oxigênio que deveriam transportar, e se tornam até mesmo incapazes de navegar pelos finíssimos capilares. Privadas de oxigênio e nutrientes, as células dos tecidos que não recebem irrigação adequada se tornam suscetíveis à doença e morte.

A maioria dos alimentos ricos em gorduras também se encontra carregada de colesterol, que provoca ferimentos na camada íntima das artérias. O corpo responde vedando esses locais feridos e cobrindo-os com mais células. Em presença de excesso de gorduras e colesterol, mais e mais desses “curativos” são acrescentados, um sobre o outro, até que as placas se formam. Quando as placas se tornam suficientemente grandes, a ponto de estreitar e obstruir as artérias coronárias, ocorrem os enfartes. Se a artéria envolvida for uma das que irrigam o cérebro, teremos o quadro de derrame cerebral.

Alguns dos subprodutos da digestão das gorduras parecem estar envolvidos no desenvolvimento de certos cânceres. Tais substâncias muitas vezes causam irritação e inflamação das paredes dos intestinos, podendo tornar-se causadoras de colite e câncer de cólon. Todavia, se estiverem presentes quantidades adequadas de fibras, as fezes se movimentam com maior rapidez, deixando menos tempo para a ação dos tóxicos carcinógenos sobre as paredes dos intestinos. Olhando de outro ângulo, o excesso de gordura na corrente sanguínea é um dos fatores que deprimem a produção de células imunes.

Tem sido demonstrado que dietas ricas em gorduras prejudicam a eficácia do mecanismo da insulina no organismo, o que pode conduzir ao diabetes. A quantidade de gordura saturada na dieta também afeta os níveis de colesterol na corrente sanguínea.

 

O que podemos fazer para nos proteger?

É crucial que “cortemos” gorduras de nossa alimentação. Manteiga, margarina, banhas, óleos de cozimento e de salada são constituídos em quase 100% por gorduras. Carnes, queijos, ovos e leite integral apresentam, em média, 50 a 80 por cento de suas calorias sob a forma de gorduras.

Adicionalmente, necessitamos aumentar em muito nossa ingestão de fibras. Frutas, verduras, grãos integrais e legumes estão crescendo em popularidade. Uma vez que esses alimentos vegetais são ricos em fibras, pobres em gorduras e isentos de colesterol, representam a forma ideal de correção da dieta.

A dieta ocidental, com excesso de gordura, está nos matando lentamente. Sabemos agora que a situação pode ser revertida se substituirmos a maioria das calorias gordurosas que ingerimos por alimentos vegetais não refinados.

Uma dieta assim balanceada será capaz de prevenir muitas das típicas doenças ocidentais e ajudará a reverter a doença arterial coronariana e a maioria dos casos de diabetes do adulto. E tem mais: você desfrutará melhor saúde e sentir-se-á com mais energia. Será ainda capaz de ingerir maior volume de alimentos e mesmo assim perder peso!

(618)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *