O Juízo Investigativo

O Juízo Investigativo e a Profecia das 2300 Tardes e Manhãs

 

O Juízo Investigativo

 

I.              O que Deus fará por meio de Jesus Cristo em Seu dia determinado? Atos 17:31

Deus determinou um dia no qual julgará o mundo com justiça.

 II.           Quando acontece o juízo investigativo?

 

  1. O juízo era ainda futuro nos dias de Paulo. Atos 24:25

 

  1. O juízo acontecerá antes da vinda de Jesus. Apocalipse 22:11, 12

 

  1. O juízo estará ocorrendo durante o período em que a última mensagem de advertência estiver sendo dada ao mundo. Apocalipse 14:7

 III.        Quantos terão que comparecer ante o tribunal de Cristo? 2 Coríntios 5:10

Todos terão que comparecer ante o tribunal de Cristo.  Versículos adicionais: Romanos 14:10, 12; Eclesiastes 3:17.

 IV.        Qual é o critério pelo qual todos serão julgados? Tiago 2:10-12

Todos são julgados pela lei da liberdade, que é a lei dos dez mandamentos.

V.           Quantas coisas serão trazidas a juízo? Eclesiastes 12:13, 14

Deus trará a juízo toda obra e tudo o que está encoberto.  Versículos adicionais: Mateus 16:27; Apocalipse 22:12

VI.        A quem deu o Pai poder e autoridade para desempenhar o papel de juiz no juízo investigativo? João 5:22, 27

Deus constituiu a Seu Filho Jesus Cristo como juiz. Versículos adicionais: 2 Timóteo 4:1, 8; Atos 10:42.

 VII.     Quem é o advogado? 1 João 2:1

Jesus é o Advogado.

 VIII.  Quem é o acusador? Quem são os réus? Apocalipse 12:10

Satanás é o acusador. O professo povo de Deus são os acusados. Versículos adicionais: 1 Pedro 4:17; João 3:18.

 IX.         Quem são os jurados? 1 Coríntios 4:9; Apocalipse 5:11

Os seres santos do universo são os jurados.

 X.            Quais são os autos deste juízo? Daniel 7:10

Os autos são os livros do céu.

 

Nota: Autos são o conjunto ordenado das peças dum processo judicial; auto é um registro escrito e autenticado de qualquer ato – Mini Aurélio, 7a edição, revista e atualizada.

 XI.         Que livros há no céu?

 

  1. Há o livro da Vida:

 

“O livro da vida contém os nomes de todos os que já entraram para o serviço de Deus. Jesus ordenou a Seus discípulos:

“Alegrai-vos antes por estarem os vossos nomes escritos nos Céus.” Luc. 10:20. Paulo fala de seus fiéis cooperadores, “cujos nomes estão no livro da vida”. Filip. 4:3. Daniel olhando através dos séculos para um “tempo de angústia qual nunca houve”, declara que se livrará o povo de Deus, “todo aquele que se achar escrito no livro”. E João, no Apocalipse, diz que apenas entrarão na cidade de Deus aqueles cujos nomes “estão inscritos no livro da vida do Cordeiro”. Dan. 12:1; Apoc. 21:27.” 

 

É necessário que o nome permaneça neste livro. Apocalipse 3:5

Aqueles que possuírem pecados não perdoados terão seu nome riscado do livro. Êxodo 32:32, 33

 

  1. Há os livros de registro dos pecados:

 

    1. Há mais de dois livros no céu. Apocalipse 20:12
    2. Os pecados também são registrados. Jeremias 2:21; 17:1

 

“Quando alguém tem pecados que permaneçam nos livros de registro, para os quais não houve arrependimento nem perdão, seu nome será omitido do livro da vida, e o relato de suas boas ações apagado do livro memorial de Deus. O Senhor declarou a Moisés: “Aquele que pecar contra Mim, a este riscarei Eu do Meu livro.” Êxo. 32:33. E diz o profeta Ezequiel: “Desviando-se o justo da sua justiça, e cometendo a iniquidade, … de todas as suas justiças que tiver feito não se fará memória.” Ezeq. 18:24.” 

 

  1. Há o livro Memorial:

 

“”Há um memorial escrito diante” de Deus, no qual estão registradas as boas ações dos “que temem ao Senhor, e para os que se lembram do Seu nome.” Mal. 3:16. Suas palavras de fé, seus atos de amor, acham-se registrados no Céu. Neemias a isto se refere quando diz: “Deus meu, lembra-Te de mim; e não risques as beneficências que eu fiz à casa de meu Deus.” Nee. 13:14. No livro memorial de Deus toda ação de justiça se acha imortalizada. Ali, toda tentação resistida, todo mal vencido, toda palavra de terna compaixão que se proferir, acham-se fielmente historiados. E todo ato de sacrifício, todo sofrimento e tristeza, suportado por amor de Cristo, encontra-se registrado. Diz o salmista: “Tu contaste as minhas vagueações; põe as minhas lágrimas no Teu odre; não estão elas no Teu livro?” Sal. 56:8.” 

 

Se o justo se desviar da Sua justiça, e voltar à iniquidade, todas as boas coisas que fez serão apagadas do livro memorial. Ezequiel 18:24

XII.      Quando os pecados do povo de Deus serão completamente esquecidos e apagados? Miquéias 7:19, Salmos 37:33; Isaías 43:25-26; Jeremias 50:18-20; 31: 34

Somente no final do juízo Deus vai apagar os registros de nossos pecados e jogá-los nas profundezas do mar.

 

A Profecia das 2300 Tardes e Manhãs

 XIII.   Que evento estava para acontecer após o período profético de 2300 dias? Daniel 8:14

A purificação do santuário.

XIV.   O que eram o santuário terrestre e seus serviços em relação ao santuário celestial? Hebreus 8:5

Eram modelo, exemplo e sombra do santuário celestial.

 XV.      Quantos compartimentos possuía o santuário terrestre? Hebreus 9:1-3

O santuário terrestre tinha dois compartimentos, o lugar santo e o santo dos santos, ou, lugar santíssimo.

XVI.   Quem unicamente tinha acesso uma vez por ano ao lugar santíssimo? Hebreus 9:6, 7

Somente o sumo sacerdote.

XVII.    Quem é o sumo sacerdote do santuário celestial? Hebreus 8:1, 2; 9:11

Jesus Cristo é o verdadeiro Sumo Sacerdote.

 

XVIII. Na economia Judaica, que nome recebia o dia em que o acesso era aberto ao segundo compartimento do santuário terrestre? Levítico 23:27

Era chamado de dia da expiação.

 

Nota: O décimo dia do sétimo mês Judaico (Tishri) equivale ao dia 22 de outubro no calendário gregoriano; expiação significa perdão, purificação, reconciliação.

XIX.   O que acontecia com aqueles que não afligiam suas almas? Levítico 23:29

Os que não examinassem seus corações e abandonassem seus pecados conhecidos seriam removidos do meio do povo.

 

Nota: O dia da expiação era um dia de juízo para Israel.

 XX.      Qual era o propósito do dia da expiação? Levítico 16:30

O propósito daquele dia era purificar o povo de seus pecados.

 

Nota: A purificação do santuário terrestre não era uma limpeza do templo em si, mas sim dos pecados de Israel.

XXI.   Que profecia menor usou o anjo Gabriel para fazer-se entender o sentido dos 2300 dias? Daniel 9:24-27

A profecia das 70 semanas.

 

Nota: A palavra determinada no Hebraico significa cortada. 70 semanas foram cortadas dos 2300 dias, ou seja, extraídas de dentro deles. Gabriel explica os primeiros 490 dias das 2300 tardes e manhãs.

 

XXII.Quanto vale um dia em tempo profético? Ezequiel 4:6; Números 14:34

Um dia é igual a um ano na profecia bíblica.

 

Nota: Os 490 dias da profecia das setenta semanas equivalem a 490 anos.

 XXIII.  Qual foi o decreto para restaurar e construir Jerusalém? Esdras 9:9; 7:11-25

Foi o decreto de Artaxerxes em 457 a.C., que deu aos judeus poder para restabelecer leis civis.

 

Nota: Esta data marca não somente o início das setenta semanas, mas também dos 2300 dias.

 XXIV.  Quando terminaram as setenta semanas? Atos 7:54-58

Com a morte de Estevão no ano 34 d.C. terminam os 490 anos de graça para o povo de Israel.

 

XXV.Quando teve início o juízo investigativo? Daniel 8:14

Teve início 2300 anos após 457 a.C., em 22 de outubro de 1844.

 

Dados adicionais acerca das setenta semanas:

 

  • Messias (Hebraico) é equivalente a Cristo (Grego), que significa ungido em Grego. João 1:41

 

  • Jesus foi ungido pelo Espírito Santo. Atos 10:37, 38; Lucas 3:21-23

 

  • Jesus foi batizado no décimo quinto ano de Tibério César (27 d.C., que corresponde ao início da última semana). Lucas 3:1, 21, 22

 

  • Na metade da última semana (31 d.C.), Jesus em Sua morte fez cessar o sacrifício e a oblação. Mateus 27:50, 51

 

  • Jesus confirmou Sua aliança com muitos após sua ascensão através dos apóstolos. Hebreus 2:3

 

O Processo do Juízo de Acordo com o Santuário Terrestre no Dia da Expiação

 

  1. O animal inocente era morto para cobrir as transgressões do povo;
  2. O sacerdote respingava o sangue no véu;
  3. O juízo confirmava a posição do justo;
  4. O juízo confirmava a justiça de Deus ao condenar o pecador;
  5. O registro do pecado era removido do santuário;
  6. O santuário era purificado;
  7. Os registros eram postos sobre o bode que representava Satanás.

 

Conclusão

Enquanto os homens ainda estão sobre a Terra, a obra do juízo investigativo se efetua nas cortes celestes. A vida de todos os professos seguidores de Cristo é passada em revista perante Deus e o Universo; todos são examinados em conformidade com os relatórios nos livros do Céu, e o destino de cada um é fixado para sempre de acordo com seus atos.

 

 

(1496)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *