Dez Maneiras de Prejudicar o Cérebro

DEZ MANEIRAS DE PREJUDICAR O CÉREBRO

Por Helnio Nougueira

O cérebro é o órgão que estabelece nossa comunicação com Deus. É do cérebro que “procedem as fontes da vida” (Prov. 4:23). Neste sentido, nenhum outro órgão é tão precioso. Que tal, então, proteger melhor o seu cérebro? Seguem-se citações de Ellen White, mencionando alguns agentes destruidores do cérebro. Considero esses textos muito interessantes e até surpreendentes:

1 – Excesso de açúcar: “Açúcar… obscurece o cérebro e ocasiona mal humor.” – CSRA, 327. “Grande quantidade de leite e açúcar… afeta cérebro” – Ibidem, 331.

2 – Excesso de doces: “Ninguém pode ter… um cérebro claro, comendo largamente bolachas doces e bolo de nata e toda especie  de tortas, e partilhando  de grande variedade de comidas na mesma refeição.”

3 – Excessos na carne:Impossível é aos que usam carne em abundância, ter um cérebro desanuviado, um ativo intelecto.” Test. Seletos vol. 1, 194.

4 – Carne de Porco: O uso da carne de porco é contrário a Sua ordem expressa… Especialmente os tenros e sensíveis nervos do cérebro se enfraqueceriam e ficariam tão embotados, que as coisas sagradas não seriam discernidas, mas colocadas no baixo nível das coisas comuns. CSRA, 392.

5 – Chá e Café: “E todos devem dar um claro testemunho contra o chá e o café, jamais os usando. São narcóticos… nocivos ao cérebro.” MS, 274. O café… Estimula temporariamente o cérebro a uma ação desnecessária, mas o efeito posterior é exaustão, prostração, paralisia das faculdades mentais, morais e físicas. A mente fica enfraquecida, e a menos que, mediante esforço determinado seja o hábito vencido, a atividade do cérebro é permanentemente diminuída. CSRA, 421.

6 – Comer muito e a toda hora: O pecado do comer intemperante, do comer com demasiada frequência, do comer demais e alimentos ricos e não saudáveis… afeta o cérebro, perverte o juízo, impedindo o pensamento e a ação racionais. CSRA, 50. Comer em demasia, mesmo que se trate de alimentos simples, entorpece os nervos sensitivos do cérebro, enfraquecendo sua vitalidade. CSRA, 102. Um inválido … confessa francamente seu desprezo pelas leis da saúde e da vida… Sua comida precisa ser preparada de maneira a satisfazer seus desejos doentios. De preferência a sentar-se a uma mesa em que se ofereça comida saudável, favorecerá os restaurantes, porque aí pode satisfazer sem restrições o apetite. … Um temperamento irritável, cérebro confuso e nervos desenfreados… Esse homem é ineficiente, não se pode confiar nele. CBV, 102

7 – Fumo, álcool e satisfações sensuais: “O fumo é um veneno lento, perigoso… Excita e depois paralisa os nervos. Debilita e obscurece o cérebro.” CBV, 237e 238. “Satisfação de apetites sensuais, bebidas, fumo… destroem as faculdades do cérebro.” BC, 173.  Há no mundo uma multidão de seres humanos degradados, os quais, cedendo em sua juventude à tentação do fumo e do álcool, envenenaram os tecidos da estrutura humana, e perverteram sua capacidade de raciocínio, até que o resultado fosse justamente o que Satanás tinha em vista. Temperança, 36.

8 – Excesso de trabalho mental: Se estais impondo uma quantidade indevida de trabalho ao cérebro, imaginando que vos atrasareis a menos que estudeis em todo o tempo, deveis imediatamente mudar vossa ideia e procedimento. A menos que seja exercido maior cuidado neste sentido, haverá muitos que descerão prematuramente à tumba.” CPPE, 296.

9 – Excesso de trabalho físico e nenhum exercício mental: Os que se satisfazem em dedicar a vida ao trabalho físico, deixando a outros o pensarem por eles, enquanto simplesmente executam o que o cérebro desses outros planejou, terão vigorosa musculatura, mas débil intelecto. Sua influência para o bem é diminuta, em comparação com o que poderia ser, caso empregassem o cérebro da mesma maneira que fazem com os músculos. Essa classe cai mais facilmente quando atacada pela doença, porque o organismo não é vivificado pela força elétrica do cérebro para resistir à enfermidade. CPPE, 291.

10 – Intemperança na leitura: Hábitos intemperante na leitura têm sobre o cérebro um efeito idêntico àquele que os hábitos de intemperança no comer… Os que condescendem com o hábito de “devorar” uma história incitante estão simplesmente invalidando sua força mental e inabilitando o espírito para o pensamento e pesquisas mais profundas…  Há homens e mulheres, no declínio da vida, que nunca se restabeleceram dos efeitos da intemperança no ler. CPPE, 134e 135. Autores tidos como grandes, cujas obras são empregadas como livros de estudo, são aceitos e glorificados, embora não tenham nenhuma ligação vital com Deus. Por esse estudo tem sido o homem induzido a caminhos proibidos. Pessoas têm fatigado mortalmente o cérebro… no esforço de obter aquilo que lhes é como o conhecimento que Adão e Eva obtiveram por meio da desobediência a Deus. CPPE, 444.

Os conselhos estão aí. São claros e absolutamente confiáveis. Contudo, não é suficiente apenas tomar conhecimento acerca dos conselhos. Com a ajuda de Deus, você precisa empenha-se em atendê-los.

(823)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *