Uma História Verídica

Uma História Verídica

O HOMEM QUE PERDEU SUA PERSONALIDADE

No dia 13 de setembro de 1848, ocorreu um trágico acidente que assombraria o mundo da medicina. Fineas P. Gage, de 25 anos de idade, era capataz em uma empreiteira na cidade de Vermont, e estava encarregado de dinamitar uma zona montanhosa para que se pudesse construir uma linha ferroviária.

A tarefa era simples: fazer um buraco profundo na rocha enchê-lo com pólvora e depois cobrir com areia. Depois, comum bastão de ferro deveria fixar a areia para estabilizar a carga. Finalmente se utilizaria um pavio para detonar os explosivos. Naquele dia tudo caminhava como planejado. O buraco na rocha havia sido feito e a pólvora havia sido colocada dentro do buraco. Mas alguém havia se esquecido de colocar areia em cima da pólvora. Fineas começou então a estabilizar a carga com o bastão na rocha, o que acabou detonando a pólvora e provocando uma grande explosão.

O bastão de ferro, de aproximadamente 7 kg, 2,5cm de diâmetro e um metro de comprimento, foi jogado contra o operário. Com a força de um foguete, o ferro atravessou sua bochecha esquerda passando por detrás do olho esquerdo para finalmente sair pela parte superior do crânio.

Por incrível que pareça, o acidente não matou Fineas, e de fato, ele viveu mais treze anos e quase conseguiu recuperar todas as suas forças físicas. Não era tão inteligente quanto antes. Podia falar e fazer trabalhos físicos normalmente e sua memória estava bem ativa, mais o incidente havia levado algo de muito mais valioso.

Antes do acidente, Fineas era um trabalhador responsável, inteligente e um ótimo marido. Era conhecido como uma pessoa com alto valor moral e era descrito, pelas pessoas que o conheciam bem como um “homem piedoso e reverente em sua paróquia”. Tão excelente era o caráter de Fineas que os arquivos de trabalho o elogiavam como o “funcionário mais eficiente e responsável”, empregado pela companhia ferroviária Rutland e Burlington.

Logo depois do acidente, Fineas experimentou uma grande queda moral. Tornou-se muito emotivo, sensível e se enjoava facilmente. Perdeu o interesse pelo lado espiritual e deixou de ir a igreja, tornando-se irreverente e profano. Perdeu todo o respeito pelos bons costumes sociais e chegou a ser totalmente irresponsável. De ser um homem respeitado e trabalhador, passou a constar na lista de desempregado. Sua companhia o despediu por não cumprir com suas responsabilidades no trabalho.

O acidente traumático que sofreu Fineas lhe custou sua personalidade, seus valore morais e seus compromissos com a família, igreja e seus amados. Os investigadores concluíram que ele perdeu uma parte importante da zona frontal do seu cérebro chamado lóbulo frontal. Esta parte em nosso cérebro é responsável pela moralidade e comportamento social.

O cérebro está dividido em várias partes ou lóbulos. Cada lóbulo tem função especificas. O lóbulo frontal é o maior lóbulo do cérebro. É responsável pelo juízo, a razão, o intelecto e a vontade. É o local da espiritualidade e moralidade do qual resulta o caráter de todo ser humano. Portanto, uma pessoa com danos no lóbulo frontal pode aparentar ser a mesma pessoa de sempre, mas se alguém que o conhece se relaciona com ela, dirá que não é a mesma pessoa.

 

(1094)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *